Pesquisar

         twitter logo  You Tube   

Enquete

Acesso o site...
 



Nosso boletim

Visitantes

Nós temos 186 visitantes online

Cadastro de Professores

                  
AddThis Social Bookmark Button
O Surgimento da Matéria
André Guedes, doutor em química bio-inorgânica pela USP e professor nos colégios COC, Moura Lacerda e UNIFEB, falou com os alunos do “Adote” sobre Matéria e Energia. Durante o encontro foi discutida a origem do termo matéria, que veio do latim e significa substância física ou qualquer coisa que ocupa um lugar no espaço. 
 
O grego Demócrito de Abdera (460 a.C. - 370 a.C.) defendia que as matérias têm uma unidade pequena, que seria o menor pedaço que conserva as propriedades do que está sendo trabalhado, isso seria o átomo. 
Outro nome importante é Joseph John Thomson, que descobriu a carga elétrica do átomo. Depois veio Rutherford, que descobriu o núcleo atômico, o que contribuiu para a organização das cargas do átomo.
No núcleo do átomo existem prótons (cargas positivas) e nêutrons (cargas neutras), enquanto que, girando em torno dele estão os elétrons (cargas negativas). Porém, os elétrons não estão dispersos e sim organizados em camadas em torno do núcleo atômico. Essas camadas recebem o nome de níveis de energia e cada uma concentra níveis negativos específicos. 
O surgimento da matéria se deu a partir da teoria do Big Bang, a grande explosão que ocorreu há 13,7 bilhões de anos. No início só existiam quatro energias, a força nuclear forte e fraca, eletromagnetismo e força gravitacional. Por um fenômeno aleatório, a força gravitacional se desprendeu das outras três, que não se estabilizaram mais, então começou a se expandir, gerando assim a explosão. O primeiro átomo foi o hidrogênio, que é o de menor massa. Quando o gás hidrogênio se une a outro, seus núcleos se fundem e formam o Hélio (H1+H1=He2). 
 
Formação da Terra
Nosso planeta se formou a uma distância do sol, que é ideal para que haja vida na Terra. 
 
Estados físicos
A matéria pode estar em diferentes estados físicos (sólido, líquido e gasoso) em função da perda ou recebimento de energia. Quando a matéria recebe energia, os átomos começam a executar movimentos de vibração e a tendência, em relação à organização, é sair do lugar. 
De acordo com as descobertas da física no século XX pode-se definir matéria como energia vibrando a baixa frequência. Albert Einsten relacionou matéria à energia na fórmula E=MC², onde E é a energia, M é a massa e C representa a velocidade da luz no vácuo, que equivale a 300 mil quilômetros por segundo. 
A energia flui pela matéria causando uma perturbação que tem comportamento ondulatório, mas as ondas não transportam matéria, apenas energia. Quando a matéria recebe energia ocorrem vibrações, e isso é medido através do aumento de temperatura, se ela continuar a receber energia ocorre a mudança de estado físico. Nas plantas a matéria absorve energia e as moléculas não vibram porque a energia é utilizada para realizar fotossíntese, que é o processo pelo qual as plantas produzem seu alimento através da transformação da energia luminosa em energia química.
 
Reação química
A história do átomo é longa e passou por vários cientistas, um deles é o John Dalton, que, além de dar mais informações sobre o átomo, descobriu que existe uma proporção correta para realizar uma reação química. Reação química é uma alteração química em que a matéria (um reagente) se converte em uma nova substância. Algumas reações ocorrem sob  circunstâncias específicas – como presença de luz, fornecimento de calor ou eletricidade – outras são acompanhadas de indicações externas – mudança de cor, desprendimento de gás, calor ou luz. 
 
Este texto tem como objetivo reportar a interação entre alunos e pesquisador e os conceitos tratados durante os encontros do programa “Adote um Cientista”. 
Encontro realizado em: 24/03/2010.
AddThis Social Bookmark Button
 

Envios recentes

Casa da Ciência

Publicações

 

Jornal das Ciências 
Folhetins 

 

 

 


Casa da Ciência 2011 - Hemocentro de Ribeirão Preto FMRP-USP