Pesquisar

         twitter logo  You Tube   

Enquete

Acesso o site...
 



Nosso boletim

Visitantes

Nós temos 28 visitantes online

Cadastro de Professores

                  
AddThis Social Bookmark Button
Célula, uma unidade fisiológica

Os jovens do “Adote um Cientista” tiveram um encontro especial com Lucas Botelho de Souza, pós-graduando da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Lucas, que é formado em ciências biológicas pela USP, participou há algum tempo do programa “Caça Talentos” da Casa da Ciência. Neste encontro ele falou aos alunos sobre as células e as funções de cada organela presente no citoplasma. 

Os alunos aprenderam sobre a teoria celular proposta por dois pesquisadores alemães, Matthias Jakob Schleiden e Theodor Schwann, pela qual a célula é uma unidade estrutural e fisiológica dos seres vivos e que ela faz tudo que um ser vivo faz, como se alimentar, realizar excreção e pode até mesmo morrer. Um conceito importante nesta teoria é que toda célula provém de outra pré-existente e que ela é uma unidade fisiológica dos seres vivos porque é capaz de se reproduzir. Durante a aula foi discutida também a teoria da endossimbiose, que originou as atuais células eucarióticas animal e vegetal, mitocôndria e cloroplasto. Além de ser a menor parte que constrói os seres vivos, a célula é uma unidade fisiológica que tem todas as características de um ser vivo tem.
 
Células Vegetais e Animais
São células eucariontes semelhantes em vários aspectos como a estrutura molecular da membrana plasmática e de várias organelas e nos mecanismos moleculares. A diferença é que as células vegetais possuem parede celular e cloroplastos. 

Cloroplasto é uma organela membranosa onde ocorre a produção de clorofila. Acredita-se que cloroplasto também é um tipo de bactéria que tem DNA próprio e consegue se replicar sozinho na célula vegetal, onde existe tanto a mitocôndria como o cloroplasto, que teria surgido pelo processo de endossimbiose. A teoria da endossinbiose acredita que uma célula primitiva englobou uma bactéria fotossintetizante (cloroplasto), que encontrou dentro desta célula proteção e ambiente favorável. 

 
Célula vegetal

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Alunos: “Para se realizar a fotossíntese precisa da Clorofila?”.
Lucas: “O determinante da fotossíntese, a grosso modo, é a luz. A clorofila é só uma molécula que ajuda a capturar a energia da luz e desencadear um processo químico que vai desencadear a transformação em alimento”.
 
Bactéria
Alunos: “Elas (as bactérias) só são formadas por ribossomos?”.
Lucas: “Você vai ver a simplicidade delas. Como a bactéria é procarionte, ela não tem núcleo organizado, por isso seu DNA fica disperso no citoplasma e este monte de bolinha são os ribossomos, que é a única organela que elas têm”.
A bactéria mede de 1 a 10 µm (micrômetro equivale à milionésima parte do metro)
Teoria Celular
A célula é uma unidade estrutural e fisiológica dos seres-vivos, como em uma casa de tijolos, por exemplo, em que a unidade estrutural é o tijolo. Um conceito importante nesta teoria é que toda célula provém de outra pré-existente e, por tanto, é considerada uma unidade fisiológica porque é capaz de se reproduzir e tem todas as características que um ser vivo tem. A célula é a menor parte que constrói os seres vivos.
 
Classificação das células
Uma célula clássica possui três partes principais: a membrana externa, chamada de membrana plasmática, que envolve a célula; o núcleo onde está contido o DNA, que guarda as informações genéticas (há células que não têm núcleo definido); e o citoplasma, que contém a parte líquida – chamada de hialoplasma – e as organelas, que são pequenas estruturas dentro da célula que executam funções como a respiração, digestão e excreção.
Outra classificação é quanto ao número de células, pois existem organismos que são unicelulares e outros que são multicelulares. Bactéria e ameba são unicelulares, já os seres multicelulares são aqueles que têm várias células, como os animais, o homem, plantas e fungos.
 
Algumas estruturas da célula animal
Membrana plasmática: envolve toda a célula, é formada de lipídeos em duas camadas de lipídeos e proteínas.  É responsável pelas substâncias que entram e saem da célula.
 
Alunos: “Para que serve a membrana da célula?”.
Lucas: “Ela está na periferia envolvendo a célula. Primeiro qual seria a função mais clara dela? Proteger, porque ela é um envoltório. Outra função dela seria a permeabilidade seletiva, que significa que ela tem uma composição química que seleciona o que entra e o que sai da célula. Se for entrar açúcar na célula, este açúcar precisa ter algum sinal. A membrana controla o que entra e o que sai. Ela é um porteiro”.
 
Ribossomo: é uma organela que não tem membrana e está envolvida na produção de proteínas. A proteína é essencial para a manutenção do ser vivo, pois a maioria das reações químicas de um ser vivo é facilitada pelas ações das proteínas. A hemoglobina é uma proteína que transporta sangue e está dentro da célula sanguinea (hemácia).
 
Retículo endoplasmático liso: ele é liso porque não tem ribossomo grudado e tem a função de produzir esteróides.  Esteróides é um hormônio à base de gordura. 
 
Complexo de golgi: é responsável pelo processamento das proteínas. Quando as proteínas passam por ele são modificadas, ajustadas para a sua função e depois liberadas. O complexo de golgi também produz outra organela membranosa que é chamada de lisossomo. 
 
Lisossomo: é uma vesícula envolta por membrana que possui em seu interior uma série de enzimas digestivas. Enzimas digestivas são proteínas que ajudam a fazer digestão. 
 
Aluno: “Enzimas digestivas é o que tem dentro?”.
Lucas: “Isso, são as proteínas que vão atuar na quebra e deixar as partículas menores”.
Aluno: “Nossa, se já é pequeno, imagina, vai deixar muito menor. É uma fábrica cheia de entrada, cada um faz uma coisa”.
Lucas: “Os centríolos participam da divisão celular e formam os flagelos. O que são os flagelos?”.
Alunos: “Os rabinhos que fazem a célula se locomover, como a ameba”.
Lucas: “A ameba é um pouco diferente, pois ela tem pseudópodes, que são falsos pés”. 
 

Este texto tem como objetivo reportar a interação entre alunos e pesquisador e os conceitos tratados durante os encontros do programa “Adote um Cientista”.

Encontro realizado em: 22/03/2010.
AddThis Social Bookmark Button
 

Envios recentes

Casa da Ciência

Publicações

 

Jornal das Ciências 
Folhetins 

 

 

 


Casa da Ciência 2011 - Hemocentro de Ribeirão Preto FMRP-USP