Pesquisar

         twitter logo  You Tube   

Enquete

Acesso o site...
 



Nosso boletim

Visitantes

Nós temos 34 visitantes online

Cadastro de Professores

                  
AddThis Social Bookmark Button
O que é evolução?

Os alunos do “Adote um Cientista” participaram de um encontro sobre evolução com o pesquisador e professor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, Dr. Dalton de Souza Amorim. Em meio a uma conversa os estudantes aprenderam que, na biologia, evolução é a mudança, não pré-determinada, das características hereditárias de uma população que ocorre de uma geração para a outra. 

A espécie evolui, o individuo morre e a genética que é transmitida pelos indivíduos também evolui. Algumas características surgem e diferenciam os grupos, enquanto outras são mantidas. O professor explicou também sobre processos evolutivos, que são responsáveis pela origem e diversificação de todos os organismos e constituem a base para o entendimento de todas as áreas das ciências biológicas. Se é verdade que as espécies mudam é também verdade que elas são parecidas e nós somos o resultado de bilhões de anos de evolução.

 

Genética

A genética do desenvolvimento é extremamente sensível. Se for realizada uma comparação entre todos os indivíduos, será comprovada uma grande variabilidade. Entretanto, o homem possuí também muitas semelhanças, mas se não fosse possível identificar essas diferenças seria uma bagunça completa. 
A determinação genética da evolução é tão grande que até certa etapa do desenvolvimento, o embrião humano é semelhante ao de um animal. 

 

Dalton: “Quem evolui?”.
Alunos: “Tudo. Evolui do pior para o melhor”.
Dalton: “Às vezes é do melhor para o pior”.
Alunos: “Evolução é a passagem do tempo”.
Dalton: “Qual a relação com o tempo?”.
Alunos: “Mudança para melhor ou para pior”.
Dalton: “Quem no mundo biológico evolui?”.
Dalton: “Ser humano”.
Dalton: “O que é ser vivo?”.
Alunos: “Tudo que tem vida”.
Dalton: “Quem é esse ser vivo?”.
Alunos: “Animais, plantas, os organismos”.
Dalton: “O organismo muda?”.
Alunos: Mentalmente sim, mas o biológico não.
 
Inércia Evolutiva
Se é verdade que as espécies mudam, também verdade que elas são parecidas: o ser humano é 99,3% semelhante ao chimpanzé. 
A inércia é muito importante para a evolução. Por exemplo, se a mutação de um gene que produz enzimas, que tem ligação com a respiração, apresentar um erro, ela para de funcionar na hora. Portanto, a produção das coisas que são essenciais para a vida do indivíduo precisa ser preservada durante a evolução. 
Evolução é muito mais inércia do que mudança e o ser humano é o resultado de bilhões de anos e de bilhões de indivíduos que deram certo. O homem é descendente de uma história de ano após ano, um bilhão de anos de divisão celulares. 
 
Aluno: “Então viemos todos de um mesmo tronco, de uma mesma origem”.
Dalton: “Qual é o resultado da evolução?”.
Aluno: “O ser humano”.
Dalton: “Só o ser humano?”.
Aluno: Todos os seres vivos
Dalton: “Qual é o resultado?”.
Aluno: “Todas as espécies”.
Dalton: “Quem Evolui? A espécie evolui, o individuo morre”. 
Dalton: “O que evolui? Os genes, a genética que é transmitida”. 
Portanto, são os genes que sofrem a mutação e cada organismo é a expressão dessa genética, porque é o genoma da espécie que muda. 
Dalton: “E qual é o resultado da evolução biológica na face da terra? Depois de três milhões de anos, o resultado da evolução é todas as espécies”. 
 
Mutação 
 
O desenvolvimento pode ser considerado a história de cada organismo, pois para gerar novas espécies é necesário que ocorra um processo. Duas espécies que são semelhantes no começo, devido à mutação, podem se torna diferentes no futuro. Cada espécie vive em seu ambiente adequando e tem distribuições restritas, porém, às vezes aparecem barreiras nesse ambiente (montanhas, rios, etc.), que não permitem mais que os indivíduos se encontrem e eventualmente se reproduzam. Por algum tempo acontecem mutações com esses seres que foram separados, então serão gerados dois seres diferentes.
 
Dalton: “Há espécies ainda para serem descobertas? Sim”.
 
Dalton: “Qual o resultado da Evolução? Oito, dez, vinte milhões de espécies diferentes entre si. Tudo que existe de biológico, todas as características bioquímicas, fisiológicas e morfológicas de hoje é resultado dessa história”. 
 
Para guardar:
 
Estima-se que o número real de espécie na natureza seja entre cinco e cinquenta milhões.
 
O genoma de todas as espécies evolui. Genoma é toda a informação hereditária de um organismo que está codificada em seu DNA.
 
É necessário entender o processo evolutivo para análises comparativas entre espécies.
 
Este texto tem como objetivo reportar a interação entre alunos e pesquisador e os conceitos tratados durante os encontros do programa “Adote um Cientista”. 
Encontro realizado em: 15/03/2010.
AddThis Social Bookmark Button
 

Envios recentes

Casa da Ciência

Publicações

 

Jornal das Ciências 
Folhetins 

 

 

 


Casa da Ciência 2011 - Hemocentro de Ribeirão Preto FMRP-USP