Pesquisar

         twitter logo  You Tube   

Enquete

Acesso o site...
 



Nosso boletim

Visitantes

Nós temos 16 visitantes online

Cadastro de Professores

                  
AddThis Social Bookmark Button
Aprendendo sobre genética

Neste encontro, os frequentadores do Adote um Cientista conversaram com o professor de genética molecular Dr. Tiago Campos Pereira, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Ele falou sobre as características genéticas presentes no DNA e como elas são responsáveis pelas diferenças entre as espécies e até mesmo entre os indivíduos. As características do homem e todas as espécies são determinadas pelos nossos genes (genótipo), mas não apenas por isso. A aparência (fenótipo) é resultado de nossos genes somados ao ambiente.
 
 

Tiago: “Em cada tipo de célula os genes ativos são diferentes. O que vocês querem estudar na faculdade?”.

Alunos: “Matemática, filosofia, mortos, biomedicina, medicina e veterinária”.
Tiago: “Tudo tem a relação com a genética. Como podemos provar a paternidade de alguém que já morreu?”.
Alunos: 
-“No DNA?”.
- “Mas ele está morto”.
-“Mas a base do DNA continua, não funcionando”.
-“Até da unha da para ver”.
 
Tiago: “O DNA começa a se degradar, mas ele é muito estável, então dá para recuperar o DNA de indivíduos que morreram há muito tempo”.
Alunos:
“- Mas tem que conservar o corpo, mas como?”.
“- Os ossos. Eu vi num programa que eles desenterraram os ossos para analisar”.
Tiago: “Isso, todas as nossas células têm genes e o osso também tem células. A gente sabe que duram muito tempo, até milhares de anos. O osso permanece até milhões de anos”.
Alunos: “Mas sem o corpo (e os ossos) não da para pegar”.
Tiago: “Às vezes você tem saliva ou uma gota de sangue”. 
“Vocês conseguem ver alguma ligação da veterinária e genética? Por exemplo: tenho um colega que trabalha com aves e você não identifica se é macho ou fêmea.”
Alunos: “O macho canta”.
Tiago: “É, em algumas espécies. Mas ele faz o cariótipo (usa a genética). Como é homem e mulher?”.
Alunos: “XX, XY”.
Tiago: “Vamos supor que um indivíduo quer produzir uma vaca que dê bastante leite. A produçao de leite é uma caracteristica determinada por genes. Então ele pode selecionar e cruzar as vacas com maior produção para então aumentar a produção nas descendentes”. 
 
O professor Dr. Ricardo Vêncio, que é físico, trabalha com genética e é docente da Informática Biomédica, estava presente neste encontro. Durante a aula ele falou como são comparados os genes de mesmas espécies que possuem semelhanças e também diferenças, como uma vaca do Brasil e outra da Índia, como a sequência do genoma é possível ver a proximidade entre ambas.
 
Genótipo e fenótipo 
As características do homem e de toda espécie são determinadas pelos genes (genótipo), mas não apenas por isso. A aparência (fenótipo) é resultado de nossos genes somados ao ambiente. Se uma pessoa tem pele branca e mora em local ensolarado, ela ficará com a pele mais morena, mas se morar em local com menos sol, ficará mais branca.
O lóbulo da orelha, que pode ser solto ou não, é definido pela genética e não pelo ambiente. Se a pessoa for gorda, pode ser que ela tenha o genótipo, mas se ela fizer muito exercício, ela fica magra, é o ambiente interferindo. Os genes não determinam exatamente o que você é, mas dão pistas.
 
Mutação 
Mutação é a alteração do DNA, ela é responsável pela variabilidade. Ao longo da evolução, o DNA do homem sofreu inúmeras mutações, por isso, japoneses são diferentes dos africanos, que são diferentes dos europeus, há caracterísiticas que os distinguem. 
Mutações no DNA podem gerar algumas doenças, como a polidactilia, que é uma anomalia genética que promove alteração na quantidade dos dedos da mão (quirodáctilos) ou dos dedos do pé (pododáctilos).
 
Alunos: “Tem como nós alterarmos a genética e controlar o que vai ser mutado, como os dedos e cor do cabelo?”.
Tiago: “Ainda não é tecnicamente possível  modificarmos de forma controlada o genoma. Contudo é possível selecionarmos, dentre vários embriões, aqueles com a característica desejada - como a cor dos olhos. De qualquer maneira, nem a seleção nem a modificação  genética são feitas em humanos por questões legais e religiosas". 
 
Este texto tem como objetivo reportar a interação entre alunos e pesquisador e os conceitos tratados durante os encontros do programa “Adote um Cientista”.  
Encontro realizado em: 12/04/2010.
AddThis Social Bookmark Button
 

Envios recentes

Casa da Ciência

Publicações

 

Jornal das Ciências 
Folhetins 

 

 

 


Casa da Ciência 2011 - Hemocentro de Ribeirão Preto FMRP-USP