Pesquisar

         twitter logo  You Tube   

Enquete

Acesso o site...
 



Nosso boletim

Visitantes

Nós temos 184 visitantes online

Cadastro de Professores

                  
AddThis Social Bookmark Button
Orquídeas: quem são elas na natureza?

{jcomments on}Para o primeiro encontro do segundo semestre do Adote um Cientista, ocorrido dia 9 de agosto, escolhemos Orquídeas para continuar com a temática voltada para botânica iniciada no "Férias com Ciência", que aconteceu no final do mês de julho. O mestrando, João Marcelo Robazzi Aguiar, falou com os alunos sobre curiosas características e também adaptações das orquídeas que favorecem sua polinização.  

Encontro realizado em 09/08/2012

 

 

As orquídeas são bem conhecidas pelo homem principalmente por suas lindas flores, utilizadas na ornamentação de casas e jardins. No entanto, na natureza, as orquídeas fazem parte de relações ecológicas complexas que envolvem muito mais que a beleza de suas flores.

A família das orquídeas (Orchidaceae) é a maior dentre todas as famílias de plantas com flores (Angiospermas), sendo que possui cerca de 25.000 espécies distribuídas ao longo de todo o planeta, exceto a Antártica. A diversidade desse grupo é maior nos trópicos e no Brasil estão presentes cerca de 2.500 espécies. As flores das orquídeas são, geralmente, bem atraentes e muitas vezes são usadas pelo homem para ornamentação de casas e jardins.
No entanto, na natureza tais plantas apresentam uma função ecológica que vai muito além da beleza de suas flores. As interações mais conhecidas que envolvem as orquídeas são as de polinização. Diversos grupos de animais, como abelhas, borboletas, beija-flores e até mesmo ratos, podem atuar como polinizadores dessas plantas. Esses animas procuram substancias produzidas pelas flores, chamadas de recursos de polinização, que podem ser néctar, pólen, fragrâncias, entre outros. Além disso, várias espécies de orquídeas conseguem enganar seus polinizadores, de forma que elas dão sinais da presença de recursos de polinização, mas, no entanto, não apresentam recurso algum.
Dessa forma, as orquídeas apresentam grande importância não só econômica, mas também ecológica, de forma que fazem parte do ciclo de vida de diversos outros organismos na natureza que não estão interessados, apenas, na beleza de suas flores.

 

João Marcelo Robazzi Bignelli Valente Aguiar

Laboratório de Biologia Molecular e Biossistemática de Plantas
Departamento de Biologia - FFCLRP - USP
http://sites.ffclrp.usp.br/lbmbp

 

Mas pra que uma “língua” tão comprida, Dona Mariposa!?

O assunto foi trabalhado bem 'informalmente', com peculiaridades sobre a planta, tais como o formato da flor; coloração; as interações ecológicas (tipos de polinização; polinizadores..) significado do nome etc., acabando com idéia equivocada de que as orquídeas só estão na natureza para enfeitá-la!!! Cito uma das peculiaridades: um tipo de orquídea de Madagascar (Angraecum sesquipedale) que possui o receptáculo (canal de pólen) tão longo e fino que só há um polinizador é capaz de fecundá-la. Darwin (autor da Teoria das Evolução) um apaixonado por estas plantas, propôs que deveria existir um polinizador com uma estrutura tão longa para alcançar o néctar depositado no fundo deste receptáculo. Anos mais tarde outros pesquisadores descobriram uma mariposa noturna com uma probócide de quase 30 cm (Xanthopan morgani praedicta) que poliniza esta espécie de orquídea. Note que as estruturas de ambos são específicas e apropriadas para que ocorra a polinização daquela planta por aquele polinizador (co-evolução).

Lorimeri Cortes

Casa da Ciência 

 

É orquídea ou é abelha?

O que chamou minha atenção nessa palestra foi a polinização por engano, mais especificamente a polinização por pseudo-cópula. O labelo (uma pétala modificada) da flor da orquídea apresenta cores, forma e cheiro semelhantes aos das fêmeas de determinada espécie de abelhas. O macho "desavisado" confunde essa parte da flor com a fêmea de sua espécie e tenta copular com a falsa abelha; nessa tentativa, seu corpo encosta nas polínias (grãos de pólen agrupados) que grudam em seu corpo. Assim, o zangão (macho da abelha) leva com ele o pólen da orquídea para uma outra flor na qual faz nova tentativa de cópula, polinizando essa segunda orquídea com o pólen trazido da anterior.

 

Valéria Costa

Casa da Ciência 

 

Perfume para abelhas

Os machos de abelhas (Euglossini) que visitam as flores das orquídeas coletam compostos aromáticos que são secretados por uma pétala especializada conhecida como labelo. Estas abelhas apresentam adaptações morfológicas para a coleta destas substâncias, as quais são raspadas com estruturas como esponjas no primeiro par de patas e transferidas em vôo para estruturas esponjosas no segundo e terceiro pares de pernas. A função destes compostos é motivo de debate e ainda não foi esclarecida, mas é possível que intervenham no processo de acasalamento, como fator de reconhecimento específico e/ ou de seleção sexual.

 

Ricardo Couto

Casa da Ciência

 

Um lugar ao sol...

Aqueles que, assim como eu, pensavam que a orquídea era somente uma flor, se surpreenderam quando o João Marcelo começou a contar mais e mais detalhes sobre essa planta, que é popular por suas flores exóticas e pelo aroma agradável que elas liberam. As orquídeas constituem a maior família de Angiospermas do mundo com aproximadamente 24 mil espécies. Possuem uma diversidade tão grande que podem ser encontradas em qualquer ambiente e estão esparramadas por todos os continentes (menos no ambiente gelado da Antártida). Ao contrário do que as pessoas imaginam, a maioria de suas famílias não são parasitas de troncos, e sim epífitas, ou seja, crescem em cima dos troncos de outras árvores (sem lhes causar qualquer prejuízo), usando dessa estratégia somente para alcançar mais eficientemente a luz solar.

 

Pedro Borges

Casa da Ciência

 

 

Participe você também! Dê sua opinião.


Em conversas da equipe após o evento, um membro da equipe, Fernando Rossi, comentou que o que mais lhe chamou a atenção foi o diálogo do David da Cruz Ferreira (aluno do Adote um Cientista) com o palestrante:

 

David (aluno): "Se não é a flor, qual é a estrutura principal de classificação que distingue a família das orquídeas das outras plantas?”*
João Marcelo (palestrante): "É o bulbo da orquídea quando está no estágio de embrião. Mas para te responder melhor, precisaria estudar... para poder explicar os detalhes."

 

Por que será que esse diálogo chamou a atenção do Fernando? O que você acha? Deixe seu comentário aqui na nossa página dando sua opinião!

 

*Em outras palavras, o que a planta da orquídea tem que faz ela ser uma orquídea e não ser qualquer uma outra planta.

AddThis Social Bookmark Button
Última atualização em Qui, 18 de Setembro de 2014 13:54
 

Envios recentes

Casa da Ciência

Publicações

 

Jornal das Ciências 
Folhetins 

 

 

 


Casa da Ciência 2011 - Hemocentro de Ribeirão Preto FMRP-USP