Pesquisar

         twitter logo  You Tube   

Enquete

Acesso o site...
 



Nosso boletim

Visitantes

Nós temos 30 visitantes online

Cadastro de Professores

                  
AddThis Social Bookmark Button
Relíquias do Sangue e Sara

{jcomments on}

Alunos durante a 60º reunião da SBPC

em Campinas, em 2008.

Os elementos do sangue e a importância de sua doação, esses são os assuntos tratados em “Relíquias do Sangue e Sara”. Na peça, os alunos da Casa da Ciência informam e esclarecem o público por meio da arte cênica, cada personagem é um componente do sangue e se mostra indispensável para o funcionamento deste importante fluido. Os conceitos tratados na peça foram revisados por pesquisadores do Hemocentro de Ribeirão Preto.

 

Na história, Sara, a protagonista, adormece e viaja pelo “mundo do sangue” desvendando suas diversas funções. Até a garota explicar para todas as células do sangue que ela não é um “corpo estranho”, o público é estimulado a conhecer cada elemento e entender também suas funcionalidades. Com muita descontração e dança, a plateia é levada a refletir sobre a importância da doação de sangue e a superar os mitos embutidos nessa prática que pode salvar vidas. 
 

Apresentação durante a SNCT 2008 em Gama, cidade satélite de Brasília. Fotos: Carlos Cruz/CNPq.

 
Daianne Maciely, autora do texto e atriz que interpreta Sara, explica que a peça possui linguagem de fácil acesso e é voltada para todas as idades. “Sempre conseguimos deixar a mensagem principal, que é a importância da doação. Com a peça, as pessoas passam a conhecer o que tem dentro do próprio sangue, pois às vezes não sabem da importância por não conhecerem” conta. 
 

Alunos se apresentam em Taguatinga, cidade satélite de Brasília, durante a SNCT 2008. Fotos: Carlos Cruz/CNPq.

 
O grupo teve orientação do diretor de teatro Gilson Brigagão da Cia Ribeirão em Cena e Espaço Santa Elisa Vale. A peça já foi apresentada na 60º reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) na cidade de Campinas em julho de 2008 e em outubro do mesmo ano foi encenada em Brasília, durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). Os jovens também se apresentaram durante a 9º Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto em junho de 2009.
 
Alguns dos atores dessa montagem encenaram também a peça “Agonia de uma célula”, criada em 2002 e que apresenta temas relacionados à célula, vírus e sistema imunológico.
 

"Relíquias do Sangue e Sara foi apresentada também durante a 9º Feira Nacional do 

Livro de Ribeirão Preto em 2009.

 
“Relíquias do Sangue e Sara” busca envolver o público em uma prática de aprendizagem diferente, ensinando por meio do teatro. No final da apresentação cada personagem explica sua função e responde as perguntas do público. “As pessoas sempre nos recebem muito bem e gostam de conversar depois da peça. É um jeito diferente de ensinar, porque foge um pouco do que é a aula”, explica Ádamo Siena, ator que interpreta a Célula Dendrítica, o “Detetive Dendritic Langerhans Bond”. Confira o vídeo da peça:
 
 
 
 
Conheça as personagens:
Sara (Daianne Maciely) - garota que descobre a importância da doação em uma aventura dentro de seu próprio sangue.
Hemácias (Késsia Moraes, Alexia Rodrigues e Isabella Mendonça) - tem como função o transporte de oxigênio e também do gás carbônico através da proteína hemoglobina existente em seu interior. Os íons de ferro presentes na hemoglobina são responsáveis pela cor avermelhada das hemácias.
Linfócito T (Diego Sanchez) e Linfócito B (Danilo Sanchez) - são células especializadas do sistema imunológico, capazes de identificação de “corpos estranhos” (linfócito T) e síntese anticorpos específicos (linfócito B) com a finalidade de destruir muitos tipos de antígenos (corpos estranhos, bactérias e vírus).
Plaquetas (Jeferson Silva e Jaqueline Iqueda) - atuam na coagulação do sangue e se originam a partir das células megacariócitos (grandes células da medula óssea responsáveis pela produção de plaquetas sanguíneas).
Natural Killers – NKs (Renata Oliveira e Rafael Furlan) - tem como função eliminar células infectadas por antígenos ou com defeito de função, a partir de proteínas específicas, evitando assim a multiplicação.
 
Anticorpos (Marina Viola e Mara Elisama) - são proteínas produzidas pelo Linfócito B que destroem os agentes estranhos. Há cinco tipos diferentes de anticorpos e cada um tem uma resposta específica para cada tipo de invasor.
Vírus (Paulo Teodoro e Daniele Viola) - formado pelo capsídeo - composto por proteínas, açúcares e lipídios – envolve o material genético, que pode ser DNA ou RNA (retrovírus). A partir da invasão de células de outros organismos, os vírus conseguem se replicar, produzindo novas unidades virais.
Célula Dendrítica ou apresentadora de antígenos (Ádamo Siena) - são células que fazem parte do sistema imunológico, cuja principal função é capturar e transportar os antígenos até os linfonodos, apresentando-os aos linfócitos T.
 
 
 
AddThis Social Bookmark Button
 

Envios recentes

Casa da Ciência

Publicações

 

Jornal das Ciências 
Folhetins 

 

 

 


Casa da Ciência 2011 - Hemocentro de Ribeirão Preto FMRP-USP