House of Science

Log in



Who are we? A Big Family
In the vastness of the universe, today we know that only on planet Earth life appeared. About 3.8 billion years ago, our Last Universal Common Ancestor, LUCA, appeared in the oceans. It originated all the groups of living beings through evolution.  Na grande imensidão do universo, sabe-se, hoje em dia, que apenas no planeta Terra surgiu a vida.  A cerca de 3,8 bilhões de anos atrás surgiu nos oceanos nosso último ancestral comum universal, o LUCA (do inglês Last Universal Common Ancestor), organismo que deu origem a todos os grupos de seres vivos ao longo da evolução.

De certo modo, todos os organismos são parentes entre si. Alguns são mais relacionados, outros menos, mas todos formam Uma Grande Família. Cada grupo dentro desta família compartilha características em comum, vindas de um ancestral, ou “tatataravô”, exclusivo. Essas características podem estar relacionadas tanto à forma, fisiologia ou comportamento. Podemos verificar isto em nossa preferência por lares quentes, protegidos e fechados, que remete a nossa condição ancestral de “homem das cavernas”. Há também nossa preferência por vegetação arbustiva esparsada com vegetação rasteira, semelhante às savanas africanas onde habitaram nossos ancestrais próximos.

Neurônios
 
Todos os animais, excluindo as esponjas, possuem uma célula especial que surgiu próximo à origem dos animais, o neurônio. Os neurônios ao longo da evolução foram formando várias redes especializadas e, na origem dos animais bilaterais (vermes, minhocas, insetos, peixes, humanos, etc), se concentraram na região anterior do organismo, formando o encéfalo. 
 
O funcionamento do neurônio foi bastante conservado ao longo da evolução. Muito do que se sabe sobre memória e transmissão de informações no cérebro foi estudado em modelos animais invertebrados, como a Aplysia californica (lebre-do-mar) e a Loligo brasiliensis (lula). Isso acontece porque muitas características são selecionadas pelo ambiente e se são vantajosas podem permanecer por muito tempo na evolução, como é o caso das enzimas relacionadas à digestão de glicose, presentes tanto em bactérias, como fungos, plantas e animais. As informações são transmitidas para as próximas gerações como genes, essa é a função deles. 
 
Lebre-do-mar e Lula 
 
O conjunto das informações genéticas presente em um organismo por meio de processos evolutivos, como a seleção natural, e a sua relação com o ambiente onde vivem define Quem somos nós do ponto de vista biológico. 
 
Pensando assim, não podemos dizer que há diferenças entre o “biológico” e o “psicológico”, uma vez que a função do Sistema Nervoso é justamente integrar e responder aos estímulos ambientais. Qualquer alteração considerada “psicológica”, na verdade depende de um substrato biológico, até mesmo o aprendizado e a memória. Neste sentido, uma característica importantíssima do cérebro que colabora com a sobrevivência do organismo e permite que este responda de diversas maneiras às pressões do meio é a capacidade de modificação cerebral diante alterações ambientais. Esta propriedade é chamada de plasticidade sináptica


Texto: Danilo Benette Marques
e-mail: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it


Confira na próxima semana o texto da aula do Cleiton sobre modelos animais e plasticidade sináptica!

 

Add comment


        
                 

Our newsletter

Visitors

We have 16 guests online

Follow us

   twitter logo You Tube  

Publication

   
   


Latest News

Our Pictures

genomacancer.jpg

Word Clouds



Most popular articles


Casa da Ciência 2011 - Hemocentro de Ribeirão Preto FMRP-USP